Produtor terá touros com EurepGap

A marca CV, do selecionador de nelore-mocho Carlos Viacava, também está se preparando para obter o ErurepGap e espera receber o selo este ano. Embora para vender touros não seja necessária a certificação, o criador afirma que uma das premissas para exportar carne de boi gordo é que os fornecedores de insumos sejam certificados. ''''Faço parte da cadeia produtiva, portanto, tenho de atender às exigências internacionais e acredito que, no futuro, até mesmo o touro que eu vender para fazer carne deverá de ter o certificado'''', diz.''''Como o rebanho é todo registrado, estamos aproveitando o mesmo mecanismo de identificação dos animais para fazer o link fazenda-associação-Ministério da Agricultura'''', conta o zootecnista do rebanho CV, Juliano Roberto da Silva. Depois dessa etapa, a Fazenda Campina, em Cauiá (SP), passará a atender às exigências relacionadas às boas práticas ambientais e gestão. Já a Fazenda São José, em Paulínia (SP), está em fase de rastreamento do rebanho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.