Produtora de cinema é presa acusada de racismo no Rio

Anna Christina de Paiva teria chamado de 'negrinha' uma funcionária do Shopping Downtown

TALITA FIGUEIREDO, ESPECIAL PARA AE, Agencia Estado

24 de janeiro de 2008 | 20h58

A produtora de cinema Anna Christina de Paiva, de 40 anos, foi presa acusada de racismo depois de chamar de "negrinha" uma funcionária da lanchonete do cinema do Shopping Downtown, na Barra da Tijuca (zona oeste do Rio), na noite de ontem. Horas depois, por força de um habeas-corpus, ela foi liberada pela polícia. A pena para o crime varia de um a três anos de prisão. A confusão aconteceu depois de a atendente, cujo nome não foi revelado pela polícia a pedido da vítima, ter tentado sem sucesso passar o cartão de Anna para pagar uma pipoca. Depois de chamar a vítima de incompetente, ela passou a gritar que a atendente era uma "negrinha da Rocinha". Um grupo de pessoas que estava na fila do cinema foi à 16ª Delegacia de Polícia para testemunhar contra a produtora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.