Professor é arrastado por 30 metros em roubo de carro no MS

O caso do professor remete à tragédia vivida pela família do menino João Hélio Vieites, morto no Rio de Janeiro

João Naves de Oliveira, Agencia Estado

17 de março de 2008 | 15h40

O professor de geografia Zenildo Oruê, de 38 anos, foi arrastado na madrugada desta segunda-feira, 17, por cerca de 30 metros em seu próprio carro depois de ter sido atacado por bandidos, quando chegava em casa no bairro Jardim das Mansões, periferia de Campo Grande. Ele está internado na Santa Casa da cidade, onde será submetido a cirurgias para reconstituição da pele em várias partes do corpo e do couro cabeludo.Os ladrões tomaram o celular, os tênis da vítima e levaram o veículo arrastando o proprietário por mais de 30 metros. Segundo os parentes, o professor, que dá aulas na rede estadual de ensino, disse que não sentiu dores durante o percurso em que foi arrastado porque desmaiou. Ele foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros.   O caso do professor remete à tragédia vivida pela família do menino João Hélio Fernandes Vieites, de 6 anos, que morreu na noite de 7 de fevereiro deste ano depois de ser arrastado por sete quilômetros na mesma zona da cidade, por bandidos que haviam rendido sua mãe. O crime teve grande repercussão no Brasil. Os pais de João Hélio envolveram-se em movimentos contra a violência e seu nome será dado a uma praça. Os bandidos foram presos e condenados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.