Professora é presa por espancar filho até a morte

Garoto de 6 anos chegou a ser levado para o pronto-socorro, mas não resistiu aos traumas

Da Redação, Agência Estado

07 de janeiro de 2009 | 03h57

A professora Solange Gusson Machado, de 42 anos, foi detida e indiciada por homicídio doloso qualificado, no início da noite de terça-feira, 6, após confessar que havia espancado um de seus dois filhos adotivos, Peterson, de 5 anos, pela manhã, na casa onde ela e os dois meninos moram, em Pirituba, zona norte da capital paulista. A criança morreu minutos após dar entrada no pronto-socorro municipal de Cajamar, região norte da Grande São Paulo.Funcionária pública estadual e solteira, Solange, após espancar Petesron, na presença de Nicolas, de 4 anos, seu outro filho adotivo, resolveu ir até a casa do tio dela, em Campo Limpo Paulista, já no interior do Estado, onde a criança começou a passar mal e desmaiou. Mesmo levado ao pronto-socorro, o menino não resistiu aos diversos traumas sofridos e acabou morrendo. Ao tirar a roupa da criança, o médico do pronto-socorro constatou diversos hematomas.A Polícia Civil foi acionada e deteve a professora, que confessou o espancamento. O delegado Célio Roberto de Freitas indiciou Solange e encaminhou a acusada à Cadeia Púbica Feminina de Mairiporã, onde a professora ficará detida temporariamente. Como possui curso superior, será transferida para uma penitenciária.

Mais conteúdo sobre:
professorafilho adotivomorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.