Professores da capital também querem reajuste

Professores da capital também querem reajuste

Professores das escolas municipais de São Paulo apresentaram ontem uma pauta de reivindicações com 59 itens a representantes da Secretaria Municipal de Gestão. A categoria quer, por exemplo, reajuste salarial de 34% e incorporação integral das gratificações criadas em 2006. A manifestação, pacífica, ocorreu no centro da capital paulista e reuniu 1,5 mil pessoas, segundo a Polícia Militar. O trânsito foi organizado por agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

CARLOS LORDELO, O Estadao de S.Paulo

27 de março de 2010 | 00h00

O presidente do Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal de São Paulo (Sinpeem), Claudio Fonseca, considerou a reunião com a Prefeitura "um bom começo". "Apesar de não ter discutido a pauta de reivindicações, o governo não foi refratário ao que apresentamos", disse.

Um novo encontro já foi agendado para a terça-feira e o sindicato resolveu, em assembleia, realizar outra paralisação no dia 23 de abril, no mesmo local. "Nossa data-base é maio, ou seja, estamos dando tempo ao governo. Isso mostra que não vamos radicalizar o movimento, pelo menos por agora", afirmou Fonseca.

O professor Marcelo Santana, de 44 anos, não gostou do resultado da reunião. "A resposta do governo foi evasiva." Já a professora Maria Luiza, de 54, afirmou que o início do processo de negociação "já é bem significativo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.