Professores da rede estadual realizam protesto no Rio

Os professores da rede estadual do Rio de Janeiro realizam um protesto nesta tarde no centro da cidade. Por volta das 16h30, eles estavam em frente ao Tribunal de Justiça (TJ), na Avenida Presidente Antônio Carlos. Mais cedo, os manifestantes ocupavam uma faixa da Avenida Rio Branco. De acordo com o 13.º Batalhão de Polícia Militar (BPM), da Praça Tiradentes, entre 14h30 e 15 horas, cerca de 300 pessoas participavam da manifestação.

CAROLINA SPILLARI, Agência Estado

28 Junho 2011 | 17h08

A ideia do protesto, conforme o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Rio de Janeiro (Sepe), é "abraçar" o TJ como representação da esperança que a greve seja reconhecida como um instrumento de justiça. Os profissionais de educação estão em greve desde o último dia 7. Na última audiência entre sindicato e professores, o governo do Estado ficou de apresentar uma resposta até o próximo dia 15.

Segundo o Sepe, a proposta deverá conter as principais reivindicações salariais da categoria, como reajuste salarial de 26%, descongelamento do plano de carreira dos funcionários administrativos e antecipação das parcelas da incorporação do Nova Escola.

Na última assembleia dos professores, no dia 20, foi votada a continuidade da greve. Além disso, ficou decidido que professores das escolas estaduais não devem aplicar o Sistema de Avaliação da rede, o Saerj. O sistema deve ser aplicado no dia 29, quando deve ocorrer a próxima assembleia da rede.

Segundo o Sepe, os profissionais de educação são contra o provão de avaliação externa promovido pela Secretaria de Educação porque, segundo eles, o provão tenta maquiar a situação de crise na rede.

Os professores da rede estadual participaram, no domingo, de uma caminhada no Aterro do Flamengo junto com os bombeiros e outras categorias de servidores. A próxima assembleia dos professores acontece amanhã no Clube Municipal, na Tijuca. Na ocasião, a categoria vai discutir sobre a continuidade da greve e a contraproposta prometida pelo do governo de apresentar.

Mais conteúdo sobre:
educaçãoprotestoprofessoresRJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.