Professores fazem dia de greve contra pacote de Tarso

Convocados pelo sindicato da categoria, professores estaduais do Rio Grande do Sul paralisaram suas atividades hoje para protestar contra o pacote previdenciário do governador Tarso Genro (PT). A greve de um dia obteve adesão parcial, chegando à quase totalidade das escolas em municípios como Carazinho e Santa Rosa, a 75% em Pelotas, Passo Fundo e Erechim e a menos de 10% em Porto Alegre e região metropolitana. Na capital, cerca de 200 pessoas fizeram uma passeata e um ato público diante do Palácio Piratini para pedir a retirada do que chamam de "PacoTarso".

ELDER OGLIARI, Agência Estado

14 Junho 2011 | 19h48

Os educadores contestam a elevação da alíquota de contribuição, de 11% para 16,5%, para quem ganha mais de R$ 3,6 mil, por entenderem que, depois de aprovada, ela será estendida a todo o funcionalismo. Também rejeitam a criação de um fundo previdenciário para quem ingressar no serviço público de agora em diante.

O governo sustenta que, sem as mudanças, em poucos anos o Estado não terá mais como pagar as aposentadorias, que custam R$ 4 bilhões por ano e consomem cerca de metade de todo o gasto com o funcionalismo. Os projetos serão votados até o final do mês na Assembleia Legislativa do Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.