Professores fecham acordo e devem encerrar greve no Rio

Docentes não sofrerão cortes nos pontos, mas terão de compensar os dias parados

MARIÂNGELA GALLUCCI, O Estado de S. Paulo

22 Outubro 2013 | 22h57

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), anunciou, na noite desta terça-feira, 22, que a prefeitura do Rio e o governo do Estado chegaram a um acordo com os professores municipais e estaduais para colocar um ponto final na greve da categoria que já dura mais de dois meses.

Fux explicou que os professores não sofrerão cortes nos pontos, mas terão de compensar os dias parados. "A conciliação foi positiva. Os professores se comprometeram a realizar a assembleia para encerrar a greve e, em contrapartida, não haverá corte de ponto nos salários tanto na rede estadual quando na municipal", disse.

Segundo o ministro, se apesar do acordo a greve prosseguir, os professores não poderão mais contar com a colaboração do STF. O acordo deverá ainda ser aprovado na quinta-feira em assembleia da categoria.

"Concordamos em que os professores que tenham deixado de dar aula não sofrerão punição por isso. Criamos grupo de trabalho que vai discutir a questão da carga horária e vamos discutir questões administrativas, como rever plano estadual de educação", afirmou o secretário da Casa Civil do governo do Rio de Janeiro, Regis Fichtner.

Na semana passada, o ministro Luiz Fux, do STF, suspendeu o corte do ponto dos professores grevistas. Esse corte havia sido determinado pelo Tribunal de Justiça do Rio. Na ocasião, ele decidiu marcar a audiência realizada ontem da qual participaram representantes da prefeitura, do governo do Estado e dos professores.

Mais conteúdo sobre:
Protestos professores Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.