Professores municipais do Rio decidem manter greve

Os professores da rede municipal de ensino do Rio decidiram nesta terça-feira, 3, manter a greve iniciada em 8 de setembro. Eles promoveram uma assembleia na Lapa, na região central, durante a tarde, e em seguida fizeram caminhada até a Câmara Municipal. Uma nova assembleia está marcada para esta quinta-feira, 5, às 10 horas, em frente à prefeitura.

FÁBIO GRELLET, Agência Estado

03 de setembro de 2013 | 19h33

Os professores pediram 19% de aumento e o prefeito Eduardo Paes (PMDB) ofereceu 15,29%. Paes também se comprometeu a encaminhar para votação na Câmara em 30 dias o plano de cargos e salários, abonar os dias parados, devolver os valores descontados e reduzir a carga horária dos funcionários administrativos de 40 para 30 horas. Os professores ainda cobram mudanças pedagógicas e um cronograma com prazos para essas alterações, entre outras reivindicações.

Nesta segunda-feira, 2, a Justiça concedeu liminar em ação proposta pelo município do Rio ordenando que os professores encerrem a greve em 48 horas. Caso eles não retomem o trabalho, o sindicato que representa a categoria será multado em R$ 200 mil por dia em que a greve for mantida. O sindicato informou nesta terça-feira, em nota, que ainda não havia sido notificado da decisão, mas que o departamento jurídico já preparava um recurso para derrubar a liminar.

Mais conteúdo sobre:
ProfessoresRiogreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.