Programa de TV escolhe pregador islâmico mirim na Indonésia

'Child Preachers' foi concebido para crianças ao estilo de shows como o clássico americano 'Ídolos'

Lucy Williamson, BBC

23 de novembro de 2007 | 07h44

Um show de talentos, que mostra a competição entre crianças abaixo de dez anos para mostrar qual delas é a melhor pregadora islâmica, está fazendo muito sucesso na televisão da Indonésia. O programa se chama Child Preachers ("Crianças Pregadoras", em tradução livre) e testa a habilidade das crianças na arte dos sermões islâmicos. A estrutura do programa é parecida com os shows de talentos atuais da televisão ocidental, ao estilo de Ídolos e American Idol. Por dois meses, os competidores mirins viveram isolados em uma casa na capital indonésia, Jacarta. Todos os dias eles treinavam por várias horas com uma equipe de guias e conselheiros. Um dos três finalistas da última rodada é Fahmi, de oito anos. O menino afirma que participa da competição para espalhar a palavra do Corão. "Quero ser um pregador quando crescer, pois existem muitos jovens atualmente que não seguem o Corão", disse. As apresentações dos competidores são cuidadosamente coreografadas: a maquiagem, as roupas islâmicas, os gestos e, claro, os próprios sermões. No auditório do canal de televisão Lativi, um grupo de adolescentes vestidas de acordo com o código islâmico afirma que este programa é bem melhor que os shows de talentos ao estilo ocidental. "Este é muito melhor, pois está ensinando o respeito à religião islâmica. O Ídolo indonésio é só para se divertir, falar dos prazeres mundanos, mas este fala sobre o mundo e o além", afirmaram as adolescentes. Programas de televisão com temas religiosos têm grande audiência na Indonésia e pelo menos dez destes eram exibidos durante o Ramadã de 2007 no país. Mas, enquanto o tom dentro das mesquitas é sisudo e sombrio, nos programas tudo ganha mais glamour. O produtor do programa, Dicky Sumandjaja, admite que juntar as duas coisas não é fácil, mas acrescenta que elas não precisam competir. "Se você está tentando educar e entreter os telespectadores em casa, sempre será mais eficaz se adicionarmos um pouco de diversão, pois, em minha opinião, não acredito que a sociedade indonésia está pronta para aceitar coisas sérias demais na televisão", afirmou. Isto é parte de uma tendência mais ampla na Indonésia. Os muçulmanos do país buscam produtos de consumo mais modernos, porém com um toque islâmico. Há uma década a Indonésia proibia expressões excessivas de religiosidade, que eram consideradas perigosas, e a televisão do país era controlada.   Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.