Proibição do álcool líquido causa polêmica

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou a suspensão da fabricação, comercialização e distribuição de álcool líquido no País.

BRASÍLIA , O Estado de S.Paulo

27 de fevereiro de 2013 | 02h01

Publicada segunda-feira no Diário Oficial da União, a resolução provocou polêmica entre os produtores. "O assunto ainda está sob análise da Justiça, a Anvisa não poderia agir antes de uma decisão", afirmou o porta-voz da Associação Brasileira dos Produtores e Envasadores de Álcool (Abraspea).

O embate começou em 2002, quando a Anvisa editou uma resolução determinando a proibição da venda de álcool líquido como objetivo reduzir acidentes. Na época, associações das empresas ingressaram na Justiça pedindo a nulidade da resolução. Ano passado, a Justiça concluiu que a resolução era válida.

A Abraspea entrou com recurso. Para a Anvisa, tal medida não suspende a decisão da Justiça. A Abraspea discorda. Uma outra ação foi interposta. O Tribunal Regional Federal da 1.ª Região informa que não há prazo para análise das ações.

Indicação. O presidente da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamento, Ivo Bucaresky, foi indicado para substituir Agnelo Queiroz na Anvisa. A indicação era esperada há pelo menos um ano. Antes de assumir, Bucaresky terá de ser sabatinado no Senado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.