Promotor do caso Isabella nega ter acusado pai pelo assassinato

Conforme foi divulgado no blog do jornalista Ricardo Noblat, Cembranelli também teria dado aula a Nardoni

Wladimir D'Andrade, da Agência Estado,

09 de abril de 2008 | 18h48

O promotor do Ministério Público Estadual (MPE), Francisco Cembranelli, negou que tenha acusado Alexandre Alves Nardoni de ter matado a filha Isabella Nardoni, de 5 anos, que caiu do sexto andar de um prédio da zona norte de São Paulo, em conversa reservada nesta quarta-feira, 9, com um grupo de repórteres. A informação sobre a acusação foi divulgada no blog do jornalista Ricardo Noblat. Veja também: Polícia prevê 19 depoimentos do caso Isabella nesta semana Investigação sobre morte de Isabela aposta em exame de DNAVídeo mostra ida de família Nardoni a mercado antes do crime Defesa de Nardoni espera decisão sobre habeas-corpus até 5ªEscute por que crimes assim comovem a sociedadeTudo o que já foi publicado sobre o caso Isabella  Conforme o blog, o promotor já deu aula para Alexandre e, com base no conhecimento que já tinha do suspeito, teria culpado o pai de Isabella e dito que ele "é um vagabundo, que sempre viveu às custas do pai, um playboy".   Cembranelli reagiu: "Isso (a informação no blog) é irresponsabilidade, de um mau-caratismo sem tamanho." Ele negou ter sido professor de Alexandre. "É um completo absurdo", disse. "Eu nunca dei aula para ninguém, e em nenhum momento deste inquérito eu tive conversa informal com ninguém", afirmou.  Na terça-feira, 8, o promotor adotou  um discurso mais cauteloso sobre o andamento das investigações e criticou a imprensa, dizendo que "todas as especulações da imprensa são muito precipitadas" e que é preciso aguardar os dados oficiais.   Cembranelli afirmou que a versão dos suspeitos era "fantasiosa", com base na leitura dos depoimentos de Alexandre e Anna Jatobá. Segundo ele disse na última sexta-feira, havia contradições nos relatos e chegou a citar exemplos de divergências nos depoimentos que corriam em sigilo.

Tudo o que sabemos sobre:
Caso Isabella

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.