Proprietário da PIP era fabricante de linguiças

Dono da PIP, Jean-Claude Mas, de 72 anos, não tinha instrução médica

ANDREI NETTO , CORRESPONDENTE / PARIS, O Estado de S.Paulo

06 de janeiro de 2012 | 03h03

O dono da PIP, Jean-Claude Mas, de 72 anos, não tinha instrução médica e era fabricante de linguiças antes de se tornar o número 3 dos implantes de silicone no mundo. Descrito por ex-funcionários como "grande vendedor", praticava dumping contra os concorrentes, baixando os preços e fazendo produtos impróprios para uso médico.

O perfil de Mas vem sendo desenhado pela imprensa com base nas escassas informações a seu respeito. Ele organizou a empresa no sudeste da França. A área de atuação escolhida surpreendeu seus próximos nos anos 1980. Originalmente, Mas produzia fiambres - era charcutier, na expressão francesa.

Com consultoria de Patrick Baraf, cirurgião plástico de Paris, Mas deu início à produção de próteses mamárias. Então, eram fabricadas segundo normas internacionais, fiscalizadas pela Agência Francesa de Segurança Sanitária dos Produtos de Saúde. Porém, a valorização do euro frente ao dólar e a entrada de concorrentes da Ásia no mercado teriam, segundo Baraf, determinado a queda na qualidade. Em lugar de silicone médico, passou a produzir com silicone industrial, que custa um décimo do valor do primeiro.

Nota de seu advogado, a primeira manifestação do empresário desde o início do escândalo, diz que um "número impressionante de mentiras" tem sido dito sobre Mas na imprensa. Ela diz que ele reservará suas declarações à Justiça e que Mas escolheu o silêncio por "respeito à preocupação dos pacientes". / COM AFP

Tudo o que sabemos sobre:
PIPprótesesfabricanteimplantes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.