Protesto contra Dilma ocupa parte da Paulista

Depois de ficarem concentrados no vão do MASP, os manifestantes que pedem o impeachment da presidente Dilma Rousseff em São Paulo, seguiram para a avenida Paulista, uma das principais da Capital.

ANA FERNANDES E RICARDO CHAPOLA, Estadão Conteúdo

29 Novembro 2014 | 17h43

Os manifestantes ocupam mais de duas quadras de um sentido da avenida. A polícia militar não divulga neste momento uma estimativa oficial, mas policiais no local falam em mil a duas mil pessoas.

Com faixas de "Fora PT", "Fora Dilma", "Traidores da Pátria" e gritos como "O PT roubou", o protesto se centrou no discurso anti-petista e contra corrupção. Foram ouvidas diversas manifestações contra países como Cuba e Venezuela. "Isso aqui não é Cuba", gritaram. "A gente não quer petista, gente do mal", bradou Marcello Reis, um dos organizadores, em cima do carro de som.

Não houve manifestação dentro do movimento pedindo intervenção militar. Três manifestantes apenas foram vistos pela reportagem ainda no vão do MASP, com gritos pela ditadura, mas foram afastados do local com ajuda da Polícia Militar.

Segundo a PM, não houve registro até o momento de qualquer tumulto ou ocorrência. O protesto segue pacífico.

Mais conteúdo sobre:
Protesto Dilma Paulista

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.