Protesto de ambulantes no Rio deixa 8 presos e 4 feridos

Oito pessoas foram detidas e quatro guardas municipais ficaram feridos durante confronto entre vendedores ambulantes e guarda municipais do Rio na noite de quinta-feira, 23, na Central do Brasil, região central. Bombas de efeito moral chegaram a ser usadas pela Polícia Militar.

THAISE CONSTANCIO, Estadão Conteúdo

24 de outubro de 2014 | 11h57

A Guarda Municipal afirmou, por meio de nota, que os agentes "foram surpreendidos por um grupo de manifestantes que cercaram a unidade (de Ordem Pública - UOP) e atiraram pedras, sem motivo aparente". A confusão começou do lado de fora da estação de trens e metrô, mas migrou para a parte interna do prédio. Boatos de que teria havido um arrastão não foram confirmados.

Os ambulantes protestavam contra a morte, na véspera, de um homem nas imediações do estádio do Maracanã, na zona norte. Ele teria corrido da abordagem dos guardas e foi atropelado na Radial Oeste. Ao verem o colega morto, outros ambulantes teriam atacado a UOP do Maracanã e depredado quatro viaturas.

Por causa da confusão, dois acessos à estação de metrô foram fechados. Os trens continuaram funcionando normalmente.

Os manifestantes seguiram para o Terminal Rodoviário, Américo Fontenelle, atrás da Central, onde atearam fogo em objetos para formar uma barricada. A confusão foi contida pelo Batalhão de Choque da PM.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.