Protesto de motoboys chega à Paulista com 20 pessoas

Segundo a CET, motoqueiros ocupavam a calçada da avenida em frente ao prédio do Banco Central

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

11 de fevereiro de 2008 | 12h56

Cerca de 20 motoboys que protestavam na cidade nesta segunda-feira, 11, chegaram à Avenida Paulista por volta das 12h30, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Os motoqueiros ocupavam a calçada da avenida em frente ao prédio do Banco Central. De acordo com a CET, a manifestação deixava lento um trecho de 400 metros.   Veja também: Protesto de motoboys é iniciado com atraso em SP Protesto de motoboys segue com apenas 30 para o Municipal A manifestação foi perdendo força ao longo do percurso. O grupo inicial, que se concentrou no Pateo do Colégio, no centro de São Paulo, contava com mais de 50 pessoas. Eles protestam contra a resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que dispõe sobre equipamentos de segurança e também contra o aumento no seguro obrigatório para motos, que teve porcentual de reajuste de 38% neste ano, passando para R$ 254,16.     Novas regras   O protesto acontece porque os motociclistas de todo o País devem obedecer às novas regras para o uso de capacetes. Os equipamentos precisam ter o selo de certificação do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) e faixas refletivas nas laterais e na traseira. Quem for flagrado sem os itens obrigatórios de segurança fica sujeito à multa de R$ 127,69, cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e apreensão do veículo para regularização. A norma vale para todos os motociclistas, sejam motoboys ou não.   A resolução 203 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) proíbe ainda a colocação de películas na viseira e determina que elas sejam transparentes (padrão cristal) quando usadas no período noturno. No caso dos capacetes que não têm viseira, passa a ser obrigatória a utilização de óculos de proteção, que não podem ser substituídos por óculos corretivos. O uso de viseiras irregulares ou do capacete sem viseira e sem os óculos de proteção é considerado infração gravíssima. Para essas situações, a multa é de R$ 191,54 e mais sete pontos na carteira, além da suspensão do direito de dirigir e recolhimento da habilitação.

Tudo o que sabemos sobre:
motoboysPaulistaprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.