Protesto de petroleiros não afeta operações da PETROBRAS

A greve de 24h dos empregados da Petrobras nesta terça-feira, anunciada pela Federação Única dos Petroleiros na semana passada, ficará limitada a protestos e não há previsão de parada de nenhuma unidade da empresa, informou o coordenador da Federação Única dos Petroleiros, João Antônio Moraes. "Greve de 24h não tem por objetivo parar nada. Queremos chamar a atenção da sociedade para a questão do petróleo", disse Moraes à Reuters. O protesto, marcado para esta terça-feira, pede o cancelamento da 10a rodada de licitações de blocos de petróleo e de gás natural do governo brasileiro, previsto para ser realizado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis nos dias 18 e 19 de dezembro, no Rio de Janeiro. Realizado anualmente desde 1999, o leilão deste ano terá apenas blocos em terra e atraiu a qualificação de 47 empresas. Segundo Moraes, estão sendo realizadas manifestações em plataformas, refinarias e terminais da Petrobras em todo o país. Na segunda-feira, engrossado por campesinos do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), o movimento dos petroleiro contra a 10a rodada tomou o Ministério de Minas e Energia, sem nenhuma consequência. "Ontem o grosso eram campesinos, hoje tem petroleiros e campesinos. Todos deveriam protestar, o petróleo é de toda a sociedade", afirmou. A Petrobras confirmou que nenhuma unidade teve problemas esta manhã ou ameaça de parada de produção. A empresa disse que não iria comentar sobre o protesto, "por ser uma questão da ANP", mas afirmou que "todas as unidades da companhia estão funcionando normalmente e que a Petrobras garante o abastecimento no país". (Por Denise Luna; Edição de Marcelo Teixeira)

REUTERS

16 Dezembro 2008 | 10h56

Mais conteúdo sobre:
ENERGIA PETROLEIROS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.