Protesto deixa 15 mil sem ônibus no Grande ABC

Moradores de São Bernardo do Campo, Diadema e da capital foram prejudicados pela paralisação temporária

Fabiana Marchezi, do estadao.com.br,

12 Novembro 2008 | 11h41

Cerca de 400 motoristas e cobradores de duas viações que atendem os municípios de São Bernardo do Campo e Diadema, no Grande ABC, e também a capital paulista, fizeram um protesto na manhã desta quarta-feira, 12, em frente às garagens das empresas, impedindo a passagem dos 68 veículos que atendem nove linhas.     De acordo com o Sindicato dos Rodoviários e Anexos do ABC, pelo menos 98% dos trabalhadores aderiram à paralisação, que teve início às 3 horas e acabou por volta das 11h, prejudicando cerca de 15 mil passageiros que utilizam os ônibus das duas empresas. Ainda segundo o sindicato, a greve não foi motivada por questões salariais. Os manifestantes exigiam a retirada de uma cooperativa de fiscais que estaria prejudicando o trabalho dos motoristas e cobradores durante o trajeto.     Apesar de serem orientados para auxiliar o trabalho dos funcionários, os fiscais estariam denunciando os trabalhadores por motivos fúteis, segundo o sindicato.     Durante a paralisação, a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU/SP) acionou um esquema de caráter emergencial para garantir o transporte dos usuários das linhas afetadas.

Mais conteúdo sobre:
protesto ônibus São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.