Protesto e violência marcam funeral de aiatolá reformista no Irã

Membros da oposição, que se manifestavam contra Ahmadinejad, entram em choque com partidários do governo

AP AFP E REUTERS, O Estadao de S.Paulo

22 Dezembro 2009 | 00h00

O funeral do mais importante clérigo opositor no Irã, o grão aiatolá Hossein Ali Montazeri, tornou-se ontem uma imensa manifestação contra o governo do presidente Mahmoud Ahmadinejad. A jornada foi marcada por confrontos entre membros da oposição, policiais e os cerca de 2 mil simpatizantes do governo que interromperam o funeral do aiatolá que seria realizado na Mesquita Azam .

"Montazeri não está morto, quem está morto é o governo", gritavam algumas das dezenas de milhares de pessoas que se reuniram na cidade sagrada de Qom, ao sul de Teerã, para participar do funeral. "Morte ao ditador", bradavam outras, em referência a Ahmadinejad. O líder supremo do país, o aiatolá Ali Khamenei, era chamado de "o assassino".

A imprensa internacional foi impedida de viajar para Qom para cobrir o evento, mas segundo sites iranianos dezenas de manifestantes foram detidos. O carro do líder opositor Mir Hossein Mousavi foi atacado por homens em motocicletas quando ele tentava voltar para Teerã. O vidro do veículo foi estilhaçado e um simpatizante de Mousavi ficou ferido.

Segundo o site Kaleme, os opositores responderam com pedras às tentativas das forças de segurança de dispersar a multidão na frente da casa de Montazeri."A polícia agrediu pessoas que estavam gritando frases e elas responderam com pedras", diz o site.

Outra página na internet de tendência reformista, a Jonbeshe Rah-e Sabz, publicou que vários opositores que viajavam em um ônibus de Teerã para Qom foram detidos.

Montazeri morreu no domingo, aos 87 anos, de ataque cardíaco. Ele era visto como o líder espiritual do movimento pró-reforma, que tomou as ruas de Teerã em junho, para protestar contra a fraude nas eleições presidenciais.

Segundo a agência oficial Fars, o funeral começou às 9 horas locais (3h30 em Brasília). Entre os admiradores de Montazeri que participaram da cerimônia havia gente de diferentes cidades - de Teerã a Isfahan, Mashhad e Shiraz.

Além de Mousavi, que concorreu com Ahmadinejad à presidência, estavam presentes várias personalidades políticas da oposição como Mahdi Karroubi, que ficou em terceiro lugar na disputa presidencial. Os EUA enviaram pêsames pela morte do aiatolá, lembrando seu compromisso com os direitos universais.

Um dos líderes da Revolução Iraniana de 1979, Montazeri chegou a ser designado como sucessor do aiatolá Khomeini, líder supremo do país, antes de se tornar uma das principais figuras da oposição. Mais tarde ele se desentendeu com Khomeini por causa da execução de prisioneiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.