Protesto em Cariacica-ES causa destruição de 24 ônibus

Revoltados com a demora para embarcar nos ônibus que saíam do terminal de Campo Grande, em Cariacica (ES), cerca de 500 manifestantes interditaram hoje a BR-262, queimaram quatro ônibus e depredaram outros 20 coletivos. Na confusão, uma mulher foi ferida por uma pedra e levada para o hospital. Os atrasos foram provocados pela greve dos rodoviários, que pedem 30% de reajuste e já estão no terceiro dia de paralisação.

ERNESTO BATISTA, Agência Estado

26 de novembro de 2010 | 18h53

No final da manhã, a polícia tinha prendido 10 pessoas envolvidas no quebra-quebra, os maiores terminais rodoviários foram fechados e os ônibus recolhidos às garagens das empresas de transporte urbano.

O tumulto durou cerca de cinco horas. Começou por volta das 7 horas depois que um motorista discutiu com passageiros por causa da greve dos rodoviários da Grande Vitória. Primeiro, a multidão apedrejou um ônibus. Depois, usuários atravessaram outro ônibus na BR-262, apedrejaram e tentaram virar o veículo, e por fim atearam fogo no ônibus. Outros três veículos também foram incendiados próximo ao local e 20 foram danificados por pedras e paus.

Chegou-se a divulgar que o quebra-quebra teria começado por ação dos próprios rodoviários, mas o representante do Sindicato dos Rodoviários, Edson Bastos, negou a informação. "Não houve participação de rodoviários no que aconteceu. Estamos dispostos a cumprir a determinação de circular com 50% da frota", afirmou.

O Batalhão de Missões Especiais (BME) da Polícia Militar enviou cerca de 80 homens da tropa de choque para conter o tumulto e usou balas de borracha e bombas de efeito moral para dispersar a multidão. O Grupo de Operações Táticas (GOT) da Polícia Civil capixaba também foi deslocado para o local e prendeu acusados de liderar o tumulto.

Segundo o delegado Fabrício Dutra, as imagens da confusão foram analisadas e as pessoas que participaram da depredação dos coletivos responderão por dano ao patrimônio público. "Todos serão identificados", disse. Dez pessoas haviam sido identificadas, presas e levadas para o Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Cariacica, onde foram autuadas.

À tarde, 50% da frota voltou a circular, como determinou a Justiça Trabalhista, que só deve julgar o dissídio da categoria na próxima sexta-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
protestoônibusincêndiogreveES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.