Protesto na Cinelândia reúne 150 manifestantes

Cerca de 150 manifestantes estão reunidos na Cinelândia, no Centro do Rio, na tarde desta quarta-feira, 31, para protestar contra o decreto 44305/2013, que criou a Comissão Especial de Investigação de Atos de Vandalismo em Manifestações Públicas (CEIV). Mais tarde eles pretendem seguir até a sede do Ministério Público Estadual, também no Centro, e em seguida até a Assembleia Legislativa. Policiais de três batalhões acompanham o ato.

HELOISA ARUTH STURM, Agência Estado

31 de julho de 2013 | 18h13

No Ministério Público, os ativistas pretendem se reunir com o procurador-geral de Justiça, Marfan Martins Vieira. O procurador deve se reunir com dez manifestantes, dentre eles dois que foram escolhidos durante plenária do Fórum de Lutas promovida na noite de terça-feira.

Os ativistas vão entregar ao Ministério Público uma carta com várias reivindicações, dentre as quais investigação dos gastos públicos com a Copa do Mundo, auditoria financeira nas contas públicas do Estado do Rio e abertura de inquérito judicial para apurar a conduta policial durante os protestos. "Essa lista de reivindicações foi criada e discutida com a ajuda de professores, advogados e manifestantes durante uma série de reuniões promovidas nas plenárias, no movimento de ocupação no Leblon e pela internet", disse o biólogo Pedro Mattos, um dos manifestantes que deverá se encontrar com o procurador.

O decreto do governador Sergio Cabral filho (PMDB) que criou a CEIV tem recebido duras críticas. "Essa comissão é uma aberração. É um jogo político para que o governador saia da figura de réu para a de acusador. Não tem valor moral nem jurídico", disse o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL-RJ).

Mais conteúdo sobre:
protestosRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.