Protesto no RJ cobra mais ação no combate de doenças

O movimento "S.O.S ONGs: controle social em risco de extinção" reuniu cerca de 50 pessoas em protestos contra "a pouca eficácia" do governo no combate a tuberculose, aids e doenças sexualmente transmissíveis (DST). Com presença de drag queens, os manifestantes cobraram um atendimento melhor por parte das três esferas de governo à população infectada.

BERNARDO MOURA, Agência Estado

19 de junho de 2012 | 16h09

O movimento percorreu as tendas da Cúpula dos Povos com o objetivo de discutir com os visitantes as dificuldades que as ONGs enfrentam atualmente. A diretora da ONG "Pela Vida" Mara Moreira, soropositiva há 16 anos, reclamou da falta de remédios nos postos de saúde. "O governo fornece uma relação de pouco mais de 30 medicamentos para as unidades de saúde, quando na verdade só ficam disponíveis no máximo seis."

Wanda Guimarães, diretora do Fórum de ONGs contra a tuberculose, disse que a população não está preparada para lidar com a doença. "Tuberculose é uma doença antiga, mas até hoje é muito comum. O governo precisa preparar a população para encarar o problema."

Tudo o que sabemos sobre:
Rio+20protestoSOS ONGs

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.