Prova da Unicamp foi para ''gênios'', avalia professora

A primeira prova da segunda fase do vestibular Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) foi de "altíssimo nível" e deve ter selecionado "gênios", na avaliação de professores de cursinhos. Ontem, candidatos realizaram as provas de língua portuguesa, literatura e matemática.

Tatiana Fávaro e Carlos Lordelo, O Estado de S.Paulo

17 de janeiro de 2011 | 00h00

"Foi uma prova extremamente difícil, de altíssimo nível, que deve ter selecionado só gênios", afirmou Elizabeth Massaranduba, professora de língua portuguesa do Objetivo. "Foram questões extremamente bem feitas, mas difíceis, com uma supervalorização da literatura."

A coordenadora de língua portuguesa do Etapa, Célia Passoni, diz que a prova trouxe questões bastante extensas, que envolviam "muita concentração" e "redações precisas". Para ela, candidatos devem ter tido muita dificuldade e as notas não serão altas. "Foi uma maratona."

Em matemática, as questões não estavam mais fáceis. "Foi uma prova que exigiu muito, as questões pediam muitas contas, todas com dois itens", disse Giuseppe Nobilioni, professor de matemática do Objetivo. "Foi uma boa prova, mas não uma prova simples." Carlos Shine, professor do Etapa, concorda. "As questões da Unicamp têm se tornado mais específicas, trabalhando de uma maneira positiva, mas difícil, a matemática nas questões do cotidiano."

O coordenador executivo do vestibular, Renato Pedrosa, diz que a dificuldade na prova de matemática se explica pela necessidade de interpretação dos enunciados, marca registrada da Unicamp e bastante acentuada na prova deste ano.

"Se apresentássemos apenas a necessidade de o candidato usar a fórmula, talvez ele conseguisse com maior facilidade, mas a ideia é mostrar que o conhecimento não é um conjunto de fórmulas isolado. A gente tem problemas na vida a serem resolvidos com o conhecimento", disse Pedrosa. Segundo ele, esse formato, inclusive nas provas de exatas, é uma tendência.

Errata. A Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest), responsável pela prova da Unicamp, divulgou ontem errata para duas questões do exame. Os erros foram percebidos pela banca após o início da prova.

A Comvest informou que as questões não serão anuladas e duas formas de respostas em cada uma das questões prejudicadas serão levadas em consideração pelos avaliadores. Uma delas é a questão 7 da prova de língua portuguesa, que usa um trecho de poema de Vinícius de Moraes. A outra é a questão 15 da prova de matemática.

Abstenção. Ao contrário do vestibular da Universidade de São Paulo (USP), que teve índice de abstenção recorde neste ano, o vestibular da Unicamp teve pequena queda na abstenção - de 8,07% para 8%. Ontem, 15.312 candidatos realizaram as provas.

O gabarito será divulgado no site da Comvest (www.comvest.unicamp.com.br) ainda nesta semana - não há um dia definido. Os candidatos concorrem a 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.