Putin e Hollande participarão da Rio+20

Presidente da Rússia e recém-eleito na França confirmam presença na conferência; até agora, mais de 80 países já informaram comparecimento

TÂNIA MONTEIRO / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

10 Maio 2012 | 03h02

A presidente Dilma Rousseff telefonou para parabenizar François Hollande e Vladimir Putin pelas vitórias nas eleições na França e na Rússia e recebeu como resposta a confirmação da presença dos dois na Rio+20, que ocorrerá no Rio de 20 a 22 de junho.

Dilma também acertou com eles de articular uma posição conjunta para ser levada à reunião do G-20, que será realizada nos dias 18 e 19 de junho, no México. As informações são do porta-voz da presidência, Thomas Traumann.

A presidente está empenhada em trazer o maior número de chefes de Estado e de governo e conta a seu favor com o fato de a reunião do G-20 ser realizada poucos dias antes, no México. Até agora, mais de 80 países confirmaram presença. Mas a chanceler da Alemanha, Angela Merlkel, já avisou que não virá. Dilma também não obteve a confirmação do presidente Barack Obama.

Hotéis. Há ainda outras baixas por motivos mais prosaicos. Na terça-feira, o Parlamento Europeu anunciou que não virá por questões financeiras. O deputado holandês Gerben-Jan Gerbrandy, vice-presidente do Comitê Ambiental, alegou que os preços dos hotéis estão altos demais (mais informações nesta página).

Ontem, a embaixada de um país latino-americano afirmou ao Estado ter reduzido bastante o tamanho de sua delegação pelo mesmo motivo. As diárias custarim até quatro vezes mais do que o valor habitual cobrado.

Mas nem todas as delegações estrangeiras se assustaram com os preços praticados no Rio. Mesmo encontrando valores até 60% maiores do que aqueles praticados durante a baixa temporada, a França reservou 300 quartos em dez hotéis da cidade.

Nem todos serão ocupados pela delegação oficial - uma parte será usada e paga por empresários e representantes da sociedade civil. "Para a França, as questões ambientais não são de responsabilidade somente dos políticos. Para mostrar isso, fizemos o máximo para que as pessoas de fora do governo também tivessem vagas", disse Stéphane Schorderet, conselheiro da embaixada francesa no Brasil.

O Itamaraty bloqueou 5 mil vagas de hotéis para a conferência, que estão sendo administradas pela empresa de turismo Terramar. A gerente de eventos da empresa, Thalia Bertani, disse que os preços são conhecidos desde o fim do ano, reconheceu que houve alguns abusos, porém não de modo generalizado, e disse que ainda há "opções viáveis". Mas admitiu que hoje o Rio tem preços de Nova York.

Segundo o Ministério da Justiça, "ainda estão ocorrendo conversas" de representantes desse ministério, do Ministério do Turismo e do Comitê Rio+20 com a Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação, o Sindicato de Hotéis, Bares e Restaurantes e a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis para tratar de suposta recusa de prestação de serviços e suposta cobrança abusiva. / COLABORARAM CLARISSA THOMÉ, FÁBIO GRELLET, HELOISA ARUTH STURM e GIOVANA GIRARDI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.