Putin faz pressão por conversas no leste da Ucrânia

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, pediu neste domingo que conversações significativas sobre questões que incluam “organização política e soberania” ocorram entre rebeldes pró-Russia no leste da Ucrânia e o governo de Kiev, para proteger as pessoas que moram lá.

REUTERS

31 Agosto 2014 | 11h11

Ao ser questionado sobre os comentários de Putin, pela agência de notícias Tass, um porta-voz do Kremlin disse que o presidente não está pedindo que haja um país separado na região, acrescentando que ela deve continuar a fazer parte da Ucrânia, e chamou a crise de conflito doméstico.

“Conversas substanciais e significativas devem começar imediatamente... em relação às questões de organização política e soberania da sociedade, no sudeste da Ucrânia, para proteger interesses legítimos das pessoas que moram lá,” disse Putin, segundo a agência Tass.

Ao ser perguntado mais tarde, sobre as declarações de Putin, seu porta-voz, Dmitry Peskov, disse a jornalistas, na cidade russa de Chelyabinsk: “Isso não é um conflito entre a Rússia e a Ucrânia, é um conflito interno ucraniano.”

Pressionado para dizer se Moscou sentia que a “Novorossiya” – nome que os rebeldes deram à região em conflito, de população principalmente de língua russa, deveria continuar a fazer parte da Ucrânia, Peskov disse: “É claro.”

“Só a Ucrânia pode chegar a um acordo com a Novorossiya, levando em consideração os interesses da Novorossiya, e essa é a única maneira de se chegar a um acordo político,” disse Peskov.

(Katya Golubkova)

Mais conteúdo sobre:
MUNDO PUTIN UCRANIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.