Quadrilha causou rombo de R$ 3 milhões à Previdência

Auditoria realizada pelo Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), a pedido do Ministério Público Federal (MPF) em Alagoas, confirmou um prejuízo de aproximadamente R$ 3,3 milhões aos cofres da Previdência, causado por uma quadrilha que utilizava documentação falsa para a concessão de benefícios fraudulentos.

PEDRO DA ROCHA, Agência Estado

16 de setembro de 2010 | 00h29

O bando foi denunciado em 2008 pela Procuradoria da República em Arapiraca, após investigações na "Operação Bengala", durante a qual a Polícia Federal cumpriu uma série de mandados de prisão, busca e apreensão em cidades de Alagoas.

Segundo a denúncia, a quadrilha agiu entre os anos de 2006 a 2008, período no qual os seus integrantes arregimentaram pessoas, falsificaram documentos, corromperam servidores públicos e inseriram dados falsos nos sistemas do INSS.

De acordo com o procurador da República, Samir Nachef, o relatório da auditoria do INSS foi adicionado aos autos da a ação penal, que continua em tramitação na 8ª Vara da seção Judiciária de Alagoas/Subseção de Arapiraca, tendo 23 pessoas como réus, denunciadas por formação de quadrilha, estelionato, falsidade ideológica e documental, corrupção e lavagem de dinheiro.

Tudo o que sabemos sobre:
INSSprejuízofraudeAlagoas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.