Quadrilha rouba dinheiro de banco por túnel no CE

Quantia levada pelos criminosos não foi informada; polícia quer saber se há relação com furto ao BC

Carmem Pompeu, O Estado de S.Paulo

16 de fevereiro de 2009 | 17h15

Na manhã desta segunda-feira, 16, ao iniciarem o expediente, funcionários do Banco do Brasil de Quixadá, no sertão central cearense, descobriram que o caixa forte havia sido arrombado e boa parte do dinheiro levado através de um túnel. Não houve reféns, nenhuma bala chegou a ser disparada e ninguém foi preso. A maneira foi igual à usada no furto milionário do Banco Central de Fortaleza, em agosto de 2005, quando foram levados R$ 164,7 milhões. E assim como no BC, os ladrões agiram durante o final de semana.  Nem a assessoria de imprensa do BB e nem a polícia cearense divulgou o montante levado. Fontes não oficiais disseram que a agência de Quixadá funciona como centro de distribuição para outras da região e por isso guardava milhões. A informação não foi confirmada pela assessora do BB, Rosa Seabra. De acordo com ela, a instituição só pode se pronunciar depois que os técnicos de segurança do banco, que foram ao local, voltarem para Fortaleza. Segundo o delegado Jairo Pequeno, que acompanhou o caso, os ladrões alugaram um imóvel a duas quadras da agência, onde montaram um lavarrápido. Foi de lá que partiu o túnel. "Não precisaram cavar muito, pois eles aproveitaram a galeria pluvial", disse o delegado.  Como o banco é de economia mista, a responsabilidade pela abertura de inquérito ficou com a Polícia Civil do Ceará. Wilder Brito, titular da Delegacia de Roubos e Furtos, viajou de Fortaleza até Quixadá para ouvir o gerente do banco e funcionários. Peritos do Instituto de Criminalística, da Secretaria de Segurança, e da Polícia Federal também estiveram na agência. A PF quer saber se existe alguma relação entre os envolvidos neste furto e o caso BC.

Tudo o que sabemos sobre:
roubo a bancoQuixadáCEpolíciacrime

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.