QUADRINISTA FRANCÊS MORRE AOS 73 ANOS

Cocriador da célebre série de HQ Blueberry, artista aproximou os quadrinhos das artes plásticas e teve participação marcante em filmes e jogos de computador

PARIS, O Estado de S.Paulo

11 Março 2012 | 03h04

O quadrinista francês Jean Henri Gaston Giraud, de 73 anos, que se consagrou com os pseudônimos Moebius e Gir, morreu ontem em Paris, após um longo período com a saúde debilitada, segundo informações de uma amiga da família que trabalha na produtora do artista. A causa da morte não foi divulgada.

"Tenho dois polos, dois gestos. Quando estou na pele de Moebius, tento escapar de mim, desenho em transe", disse, na abertura da exposição na Fundação Cartier, em 2010, que comemorou os 50 anos de sua carreira.

Moebius nasceu em Nogent-Sur-Marne, em 8 de maio de 1938. Aos 18 anos, publicou as primeiras tiras e logo se tornou um dos artistas mais famosos e premiados da Europa. Extremamente produtivo, Moebius trabalhou em algumas das revistas mais importantes da França e ganhou fama com o gênero faroeste.

Cocriador da célebre série de HQ Blueberry com o roteirista Jean-Michel Charlier, Moebius é, desde 1963, uma referência na arte de contar histórias por meio de desenhos, seja em western ou em um futuro utópico dominado por criaturas inimagináveis. Durante a carreira, aproximou-se das artes plásticas. Com uma cenografia extremamente bem concebida, se valia de um traço básico. "A arte deve ser paranoica", afirmou, aos 72 anos.

Foi marcante sua participação na produção de filmes e jogos de computador. Assinou os storyboards de O Caçador de Androides, de Ridley Scott, e Duna, de David Lynch. Inspirou filmes como O Quinto Elemento, de Luc Besson, e O Abismo, de James Cameron. Também colaborou com Stan Lee em uma história do Surfista Prateado. No Brasil, há muitos artistas influenciados por ele, como Watson Portela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.