Qual foi seu vinho inesquecível de verão?

Aguinaldo Zackia Enófilo Foi o Sauvignon Blanc Cipreses 2004, provado em Santiago, quando estava lá fazendo uma pesquisa sobre vinhos. Ele vem do Vale de San Antonio - região costeira próxima ao Pacífico, que não conhecia -, rica em vinhedos de Sauvignon Blanc, Chardonnay, Pinot Noir e Syrah. Provei no fim de 2005, fiquei encantado. Há quem o considere o melhor branco do mundo. É muito mineral, com notas de fruta, e perfeito para o calor. Um vinho de verão tem que ser refrescante, não pode ter madeira, e esse vinho não tinha passagem pelo carvalho. Jacques Trefois Gourmet Guardo na memória como um vinho de verão especial um rosé, o Anglore, que provei no sul da França. É aquele tipo de vinho que você bebe e tem vontade de começar outra garrafa. Entre três ou quatro amigos, vai meia dúzia! Esse vinho tem uma acidez perfeita, é muito frutado, nota-se, especialmente, toques de cassis e framboesa. Outro bom vinho - este, branco - é o Macon da uva Chardonnay. Experimentei há algum tempo em um bar em Paris. É fantasticamente cítrico, logo é fabuloso para ser tomado no verão. Renato Frascino Enófilo Lembro bem do Amayna Sauvignon Blanc 2005 que tomei no píer de um restaurante no Chile. Enquanto degustava caranguejos e vieiras, esse vinho me fez relembrar as regiões de onde vêm sua uva. Seu aroma exalava pêra e maracujá; além do toque floral, lembrando flor de laranjeira. Tinha também uma acidez muito agradável, com toques de grapefruit. Outro inesquecível foi o Quartz Claude Courtois 2004, de um frescor inacreditável, perfumado como um buquê de flores, provado no Vale de Loire, França, há quatro anos. Robson Venâncio Sommelier* Meu vinho de verão inesquecível foi feito na Franciacorta, na região da Lombardia, de onde saem grandes espumantes. São tão intensos que não devem nada a um bom champanhe. Tomei o espumante Bella Vista Franciacorta à beira da piscina, num dia muito quente. Esse vinho é muito rico em perlage (borbulhas), intenso e de grande cremosidade, características que estavam muito acentuadas naquela ocasião. Para acompanhar, nada melhor que frutos de mar. Arthur Azevedo Presidente da ABS Minha preferência cai sempre para a uva Riesling. Meu vinho inesquecível vem da Alsácia, na fronteira franco-alemã. É o Zind-Humbrecht Riesling. Costumo tomá-lo com bons amigos, a uma temperatura de 10º C a 12º C. É um vinho de categoria, sofisticado, com aroma de frutas cítricas, muito delicado, com um toque de petrolato. Também gosto bastante de espumantes como o Château des Chaberts Cuvée Prestige, que tomei pela primeira vez em Saint-Tropez, na Riviera Francesa e, para mim, se tornou um vinho especial. Saul Galvão Colunista do ''''Estado'''' Difícil eleger ''''um vinho de verão'''', mas ando apaixonado pelo alemão Bürklin Wolf Riesling QBA Trocken 2004, da região de Pfalz, que bebi num almoço de aniversário em minha casa, em Jaú, com a família e amigos. Um vinho ligeiro, com ótima acidez, fresco, que pede sempre o próximo gole. Tornou-se um de meus preferidos nos dias de calor. Robert Weil Rheingau Sp?tlese Trocken 2000 é outro grande alemão que provei numa degustação com amigos. Sempre que posso, bebo um bom champanhe e estou muito contente com o Drappier Brut Carte d''''Or, alegre, gostoso e intenso.

O Estado de S.Paulo

07 Fevereiro 2008 | 03h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.