Qualidade da água é monitorada

Sistema alerta para a presença de algas nocivas e interrompe a comercialização para evitar contaminações

Luiz Gallo, O Estado de S.Paulo

07 de agosto de 2007 | 23h47

Os maricultores de Santa Catarina estão monitorando a qualidade da água nas áreas de produção de marisco e ostras. O monitoramento se baseia na análise periódica das águas de criação, buscando informações sobre a qualidade e a presença de algas nocivas, antevendo problemas como a maré vermelha ocorrida nas últimas semanas.As interdições devido ao fenômeno aconteceram no dia 18 de julho nos municípios de Penha e São Francisco do Sul. A presença de algas nocivas no mar poderia contaminar a carne dos moluscos da região e causar maiores danos.''''O molusco filtra a água do mar e com a presença de algas nocivas, pode existir a contaminação, colocando em risco a qualidade dos moluscos e a saúde dos consumidores'''''''', diz o coordenador-geral de Aqüicultura da Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca (Seap), Felipe Suplicy.O sistema de monitoramento da qualidade da água interrompeu a colheita, evitando uma série de problemas maiores como a comercialização e contaminação pelo consumo. Problemas de contaminação pelo consumo de mariscos provocaram casos de morte em países como Argentina e Uruguai antes de começarem a monitorar suas águas.O coordenador do laboratório de algas nocivas da Universidade Vale do Itajaí (Univali), Luís Proença, afirma que as pesquisas de qualidade da água do mar voltadas ao cultivo de ostras e mexilhões começou há um ano e meio na região. ''''Os produtores financiam as análises da água e pesquisas, visando à prevenção e melhor qualidade para o cultivo'''''''', diz. O monitoramento é a única maneira de lidar com as algas nocivas, que estão constantemente presentes no mar e intoxicam a água e os moluscos.Para o presidente da Cooperativa de Maricultores do município de Penha, ao norte de Santa Catarina, Eduardo Wyciechowsky, a suspensão do cultivo não prejudicou o setor. ''''Ficar uma semana sem colher dá pouco prejuízo, além de ser uma garantia de qualidade permanente para o produto da nossa região'''''''', afirma.Santa Catarina possui 93% da produção do País e é a única região onde existe o monitoramento, principal exigência para a exportação de moluscos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.