Quando e por que reformar pasto

Ideal é técnico especializado verificar a necessidade de[br]refazer a área ou apenas recuperar o capim

Fernanda Yoneya, O Estado de S.Paulo

02 Julho 2008 | 01h53

Sinais de degradação de pastagens normalmente indicam manejo inadequado da área. De maneira geral, a pastagem degradada caracteriza-se por grandes áreas de solo exposto, presença de plantas daninhas, erosão, sintomas de deficiência nutricional nas plantas e nos animais, crescimento menor e mudança do hábito de desenvolvimento das plantas e baixa produtividade.E, para saber se é necessário apenas adotar medidas para recuperar a área ou se é preciso tomar uma medida mais drástica e reformar a pastagem, é preciso, antes, fazer um diagnóstico do local, diz a pesquisadora Patrícia Menezes Santos, da Embrapa Pecuária Sudeste. ''Com a ajuda de um profissional, deve-se observar aspectos como produção do capim, falhas de capim e presença de plantas invasoras na área, para saber o que fazer'', afirma Patrícia.Se a área estiver produzindo capim, ainda que pouco, mas não houver plantas invasoras, é possível recuperar a área acertando o manejo, verificando a fertilidade do solo e fazendo a correção da área, diz Patrícia. Caso o produtor observe uma grande presença de espécies invasoras e a necessidade de plantar uma forrageira mais adaptada ao local e tolerante a algum tipo de praga, é necessária a reforma, diz a pesquisadora, destacando a grama batatais e a ciganinha como duas espécies agressivas de plantas daninhas.A pesquisadora afirma que a recuperação da área, corrigindo o manejo, é a alternativa mais barata e simples, pois implica, basicamente, corrigir a acidez do solo e ajustar a adubação. Já a reforma é mais drástica porque implica replantar o capim. ''Custa caro e é trabalhoso adquirir sementes de boa qualidade, preparar e corrigir o solo, escolher a espécie forrageira mais adequada para o local, fazer o plantio na época certa e providenciar todo o maquinário necessário. A reforma deve ser muito bem planejada, pois o criador fica sem pasto por um período de 75 a 90 dias'', explica.Entre duas alternativasÉ possível recuperar Se o pasto apresentar falhas de capim menores do que 2 metros quadrados, mesmo que haja várias falhas na área Se existir, no mínimo, 1 touceira/metro quadrado do capim elefante ou colonião e baixa infestação de invasoras Se houver, no mínimo, 2 touceiras/metro quadrado de capim braquiária e baixa infestação de invasorasHá necessidade de reformaHá necessidade de reforma Se houver áreas com solo exposto ou cobertas por plantas daninhas maiores do que 2 metros quadrados Se houver, na pastagem, mais de 50% da área sem cobertura vegetal (capim ou plantas daninhas) e com sinais de erosão Se houver necessidade de trocar a forrageira por capim resistente a cigarrinhas ou de maior potencial produtivo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.