Quase metade da indústria química chinesa ameaça o ambiente

A Administração Estatal para Proteção do Meio Ambiente (Sepa) revelou nesta terça-feira que 45% das indústrias químicas e petroquímicas chinesas representam risco elevado para o meio ambiente, informou a agência oficial Xinhua.Após inspecionar 7.555 indústrias químicas e petroquímicas emtodo o país, as autoridades detectaram que 81% estão situadas emzonas de risco para o meio ambiente.Assim, 1.354 ficam junto a rios, lagos, áreas costeiras e açudes;2.489 estão perto de cidades ou em zonas com alta densidadepopulacional; 100 foram construídas junto ao principal projeto detransposição de águas sul-norte; e 86 ficam em torno da represa deTrês Gargantas."A menos que sejam adotadas medidas efetivas de prevenção deriscos, será impossível conter a atual tendência de acidentesambientais", disse o subdiretor da Sepa, Pan Yue.Pan disse que "esta distribuição geográfica é a principal razãoque aparece após os vários episódios de poluição das águasregistrados no ano passado".Entre janeiro e abril deste ano, a Sepa recebeu relatórios de 49acidentes ambientais de diversos tipos ocorridos em 22 províncias,regiões autônomas e municípios da China, 13 deles graves.O estudo foi feito após a poluição do rio Songhua, causada pelaexplosão, em novembro de 2005, de uma indústria química no nordesteda província chinesa de Jilin, que obrigou a cortar o fornecimentode água a milhões de habitantes.Pan disse que a administração tinha ordenado a 3.745 indústriasquímicas e petroquímicas a urgente adoção de medidas de segurança, eobrigou 49 a mudar de localização.Além disso, anunciou que o governo chinês destinará mais de 14bilhões de iuanes (US$1,8 bilhão) à prevenção de catástrofesambientais em um setor de vital importância no rápido crescimentoeconômico do gigante asiático.

Agencia Estado,

11 de julho de 2006 | 16h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.