Quase metade dos uruguaios rejeita refugiados de Guantánamo

Um total de 47 por cento dos uruguaios desaprova a chegada ao país de prisioneiros de Guantánamo como refugiados, de acordo com uma pesquisa de opinião pública sobre a decisão do presidente José Mujica em apoio ao fechamento da prisão norte-americana em Cuba.

Reuters

17 Abril 2014 | 12h53

A pesquisa realizada pela Equipos Consultores mostra que 23 por cento dos entrevistados concordam com a medida, enquanto 16 por cento não são nem a favor nem contra e 14 por cento não sabem ou não responderam.

O presidente uruguaio, um ex-guerrilheiro de 78 anos que esteve preso por mais de uma década, concordou semanas atrás em receber um grupo de cinco a sete prisioneiros de Guantánamo por razões "humanitárias".

Guantánamo, que abriga um total de 154 prisioneiros suspeitos de ter ligações com o terrorismo, tem sido internacionalmente criticada por abusos dos direitos humanos.

(Reportagem de Malena Castaldi)

Mais conteúdo sobre:
URUGUAIGUANTANAMOPESQUISA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.