Tiago Queiroz/AE
Tiago Queiroz/AE

Que tal um happy coffee hour?

Café bom é meio arisco, drinque bom, também. Para unir as duas estrelas, só drinques em que um não ofusque o outro nem no nome: os coquetéis de café. Barmen de todo o mundo vêm se dedicando à proeza, mas têm até de virar baristas

Daniel Telles Marques, O Estado de S.Paulo

01 Agosto 2013 | 07h45

Muito além da taça do Irish Coffee, o café avança pela mixologia desafiando os conhecimentos de barmen do mundo todo e forçando-os a incluir uma nova expertise no currículo, a de barista.

É que a agora, a bebida está recebendo cuidados mesmo quando vai parar na coqueteleira. Reflexo da exigência dos consumidores, cada vez mais interessados na bebida.

A moda está chegando ao Brasil e Thiago Nego, do Sofá Café, barista que já foi barman, já embarcou. Ele criou os drinques ao lado com cafés preparados de diferentes formas.

Para fazer gelo, usou a Toddy, método de extração a frio ideal para tirar o doçura dos grãos. "O gelo esférico derrete com mais uniformidade e libera a doçura aos poucos. Com o tempo, o drinque fica mais aromático".

O gim-tônica é feito com uma tintura de café (infusão de grãos no destilado por 24 horas, misturada à tônica. Também usou um expresso curto como ingrediente. Os novos drinques com café devem entrar em breve no cardápio.

Integrante de um dos sites mais completos sobre o mundo dos cafés, Negranza diz que a tendência de usar o café de qualidade aplicado à coquetelaria é forte, especialmente em Nova York, Seattle e New Orleans.

"Os cafés de qualidade têm seu próprio universo e o coquetéis também. Drinques de café devem procurar fundir esses mundos", diz Alex Negranza, barman chefe do Liberty Loves You e barista do Milsted and Company, ambos em Seattle, nos Estados Unidos.

Pode parecer curioso um moderno mixologista afirmar que café no bar é tendência - um dos primeiros registros de "coffee cocktail", é de 1862, receita do Bartender's Guide, clássico da mixologia escrito por Jerry Thomas. O drinque em questão, porém, não leva café, é uma mistura de vinho do porto, brandy, açúcar e ovo. Mas, há secúlos café e bebida alcoólica têm se combinado como atesta a Enciclopédia de Coquetéis de Simon Difford, lista 70 receitas de drinques com café.

A diferença agora é que os drinques não são feitos com café e sim com bebida resultante de diferentes métodos de extração, moagem, tosta...

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.