Queijo artesanal é na butique

O empresário Fernando Henrique Soares de Oliveira não podia imaginar que os nacos de queijo minas que devorava ao lado do avô, ainda na infância, seriam inspiração para seu novo empreendimento: A Queijaria, uma pequena butique de queijos artesanais que ele e o sócio, Fábio Mesquita D'Aprile, abrem hoje em Pinheiros. O cheiro de queijo que começa do lado de fora convida a conhecer as preciosidades nas prateleiras. São dezenas de queijos artesanais garimpados por Oliveira e trazidos de Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Pernambuco e interior de São Paulo.

O Estado de S.Paulo

18 Abril 2013 | 02h12

"São todos feitos em pequena escala e não estão à venda no mercado", conta o empresário, que iniciou o projeto Queijo Artesanal, em 2008, com a venda do produto pela internet (www.alimentosustentavel.com.br).

O primeiro a fazer parte da seleção foi o queijo canastra do Seu Zé Mário, da Serra da Canastra (MG). Desde o início, Oliveira instrui e ajuda os pequenos artesãos a legalizar seus produtos para agregar valor.

Outros achados são o queijo serrano, do Sul; o caprino curado e o campo redondo, da Serra da Mantiqueira (SP); e os queijos mandacaru, uma versão do camembert, e o dom joão, semelhante ao reino holandês, ambos da queijeira Vitória Barros, de Pernambuco. São queijos à base de leite pasteurizado ou cru com mais de 60 dias de maturação e podem ser vendidos por aqui. Custam de R$ 30 a R$ 120 o quilo. Méis, sucos, compotas de frutas e geleias completam a seleção à venda. Em breve, A Queijaria terá também workshops de maturação e degustação dos produtos. / LUCINÉIA NUNES

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.