Queimadas no País crescem 85% em relação a 2009

O número de focos de queimada em todo o Brasil, acumulado desde o dia 1.º de janeiro até ontem, cresceu 85% em comparação ao mesmo período de 2009. O satélite NOAA-15, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), identificou 25.999 focos de incêndio quando de janeiro a agosto de 2009 haviam sido registrados 14.019 focos.

ANDREA VIALLI, Agência Estado

14 de agosto de 2010 | 07h09

O prolongado período de estiagem, o hábito das queimadas em áreas agrícolas e as dificuldades de logística para conter o fogo agravam o problema de norte a sul do País. De acordo com o relatório do Inpe, é primeira vez, desde 2007, que se registra crescimento no número de focos.

Entre os Estados com mais queimadas estão Mato Grosso, com 6.693 focos; Tocantins, com 4.210; Pará, com 2.526, e Bahia, com 2.020. As maiores variações foram encontradas no Tocantins (aumento de 407%), no Piauí (365%) e no Distrito Federal (250%).

"Seguramente a questão climática tem forte peso. Este ano o período de estiagem está mais longo. A mudança no padrão meteorológico é real", diz Bóris Alexandre César, diretor de operações da Fundação Florestal, ligada à Secretaria de Meio Ambiente de São Paulo. Segundo ele, há dez anos a estação seca durava de julho ao início de setembro. Hoje, a expectativa dos climatologistas é que dure até outubro.

Tudo o que sabemos sobre:
Inpequeimadasincêndios

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.