Quer ‘mergulhar’ no chá? Vá a Uji

A poucos metros da saída da estação de trem de Uji, na Rua Ichiban Uji, se percebe porque o chá verde produzido ali não podia faltar nos yunomi (peças de cerâmica para tomar chá) da nobreza, desde os tempos em que a vizinha Kyoto era a capital do país.

Paula Moura,

29 de abril de 2010 | 12h07

 

Dos dois lados, casas de chá com lojas elegantes oferecem tipos variados de chá verde, demonstrações do processo de moagem do maccha, belos doces verdes em diversas combinações e formas, além de restaurantes em que a maioria dos pratos contêm chá verde.

 

A história do chá de Uji começou no século 13 com sementes "descendentes" das primeiras que chegaram ao Japão. Não por acaso, foi criado ali o gyokuro, o tipo mais nobre. Com 200 mil habitantes, a cidade realiza o festival da bebida no primeiro domingo de outubro, rituais de oferenda de chá nos templos em novembro e colheita das folhas de maio a junho. A cidade oferece um tour do chá, que inclui participação na cerimônia, além de visita ao templo e ao museu do chá. Custa mil ienes (R$ 20).

Tudo o que sabemos sobre:
Ch&aacuteUjiJap&atildeoPaladar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.