Quimioterapia oral funciona como a intravenosa, diz estudo

Trabalho analisa resultados obtidos com 248 pacientes em 25 hospitais espanhóis

Efe

10 Julho 2007 | 17h29

A quimioterapia oral consegue a mesma eficácia que a padrão, ou intravenosa, é mais confortável e melhora a qualidade de vida dos pacientes com câncer colo-retal avançado, segundo um estudo publicado no Journal of Clinical Oncology, da Associação Americana de Oncologia Clínica. A partir do estudo com 248 pacientes em 25 hospitais espanhóis, os autores da pesquisa, membros do Grupo Espanhol de Tratamento de Tumores Digestivos (TTD), destacam que, em até 15% dos pacientes, as metástases hepáticas puderam ser retiradas através da cirurgia, após a quimioterapia. "Deste modo obtinham melhoras de sobrevivência e ampliavam suas chances de futuro", disse o chefe do Serviço de Oncologia Médica do Hospital Clínico San Carlos de Madri, Eduardo Díaz-Rubio. Díaz-Rubio disse que "os pacientes gostam muito de poder receber o tratamento em seu próprio domicílio", pois assim não têm que ir diariamente ao hospital e usar um cateter.

Mais conteúdo sobre:
câncer quimioterapia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.