Rainha da Bélgica cumprimenta atacante errado por gol

A rainha Mathilde da Bélgica passou o constrangimento de confundir os nomes dos atacantes de sua seleção após a vitória de 1 x 0 sobre a Rússia no domingo, cumprimentando Romelu Lukaku pelo gol vitorioso.

REUTERS

24 de junho de 2014 | 11h26

Após quase uma hora de jogo, Lukaku foi substituído pelo artilheiro Divock Origi, de 19 anos, e se recusou a cumprimentar o técnico Marc Wilmots na saída do campo, sentando no banco e resmungando com raiva.

Um vídeo do encontro com a realeza foi exibido pelo canal em holandês VRT no final da noite de segunda-feira.

O rei Philippe e a rainha Mathilde foram apresentados aos jogadores em uma recepção após a partida no Rio de Janeiro. Àquela altura Lukaku tinha se acalmado.

"Bravo, de verdade. E é para você, o gol também”, disse a rainha quando chegou a Lukaku.

“Não, ele está ali”, respondeu ele, apontando Origi.

“Bem, de qualquer maneira você jogou muito bem”, concluiu a monarca.

O jornal belga De Standaard relatou que a rainha se desculpou mais tarde pela gafe, explicando aos jornalistas no voo de volta à Bélgica que sua confusão foi causada porque Lukaku usava dread locks.

“Ele me pegou de surpresa por ter cortado o cabelo”, disse a rainha.

(Por Philip Blenkinsop)

Mais conteúdo sobre:
COPABELGICARAINHAGAFE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.