Rainha promete 'janeiro quente' no Pontal do Paranapanema

Líder dissidente do MST quer antecipar invasões para pressionar governo a ceder terras para reforma agrária

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agencia Estado

10 de dezembro de 2007 | 18h46

O líder dissidente do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), José Rainha Júnior, prometeu nesta segunda-feira, 10, antecipar as invasões de fazendas no Pontal do Paranapanema, extremo oeste de São Paulo, para pressionar o governo estadual a arrecadar terras para a reforma agrária na região. "Gostaria que o governo paulista avançasse com a reforma agrária para que não tenhamos um janeiro quente", disse. Tradicionalmente, o MST realiza uma jornada de invasões durante o mês de abril, no chamado "abril vermelho". No ano passado, Rainha antecipou a mobilização para fevereiro, quando seu grupo invadiu 14 fazendas no oeste paulista. "Se o governo não se mexer, já vamos começar o ano com o nosso grupo mobilizado", afirmou. Segundo ele, proprietários de 12 áreas que estão sendo reivindicadas judicialmente pelo Estado já manifestaram formalmente o interesse em negociar as fazendas com o governo. O dinheiro para as aquisições é repassado pelo governo federal, através do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). No entanto, Rainha alega que a Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo (Itesp) não procurou os fazendeiros. "Depois, quando a gente ocupa, o governo reclama." O diretor executivo do Itesp, Gustavo Ungaro, disse que as negociações para a obtenção de áreas prosseguem normalmente.

Tudo o que sabemos sobre:
MSTreforma agráriaJosé Rainha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.