Raio mata adolescente e fere cinco no Guarujá

Um adolescente de 13 anos morreu na tarde de hoje, no Guarujá (SP), ao ser atingido por um raio, durante temporal. O garoto, procedente de Guaxupé, interior de Minas Gerais, passeava com familiares no calçadão da Praia da Enseada. A mãe e um tio também foram atingidos, sem gravidade, mas o pai, de 62 anos, foi atendido em uma unidade de pronto-atendimento e, devido aos ferimentos, teve de ser encaminhado para o Hospital Santo Amaro, onde se encontrava internado até a noite de hoje. Seu estado era considerado grave.

ZULEIDE DE BARROS, Agência Estado

06 de janeiro de 2012 | 20h58

Outros dois turistas de Ribeirão Preto que passeavam no calçadão foram atingidos por raios. De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), 1.465 raios caíram na tarde de hoje, no período das 13 às 17 horas, na região metropolitana da Baixada Santista. Só em Santos foram mais de 400.

Segundo informações da Defesa Civil, apenas árvores foram derrubadas com a força dos ventos. Na região central da cidade, o teto de um sobrado, que estava desocupado, caiu, atingindo um homem que passava pelo local. Ele foi ferido na perna e no ombro e removido para o Hospital Ana Costa. Imediatamente após o acidente, os guarda-vidas que atuavam na orla do Guarujá recomendavam aos banhistas que se afastassem das praias e evitassem se proteger sob as árvores que, nessas ocasiões, acabam funcionando como para-raios.

A incidência de raios cresceu não só na Baixada Santista, no ano passado, mas em uma série de cidades com mais de 200 mil habitantes. Especialistas acreditam que o aumento da ocorrência de raios seja causado pela alta taxa de urbanização, apontada como responsável por tempestades cada vez mais intensas. Dados dos satélites mostram que o Brasil lidera o ranking de incidência de raios, com 57 milhões de ocorrências por ano. O segundo país é a República do Congo, com 43 milhões, seguido pelos Estados Unidos, com mais de 35 milhões de ocorrências anuais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.