Raízen quer normalizar entrega de combustível em 4 dias

A Raízen, licenciada da marca Shell no Brasil, prevê normalizar em até quatro dias as entregas de combustíveis na região da Grande São Paulo.

ANDRÉ MAGNABOSCO, Agência Estado

08 de março de 2012 | 13h37

Em nota, a companhia destaca que 230 caminhões saíram de suas bases em São Paulo e em Barueri nas últimas 24 horas. O volume transportado por esses veículos corresponde a 40% do que é movimentado diariamente, segundo a companhia. Mais cedo, o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes (Sindicom), entidade que representa os distribuidores, projetou que o pleno abastecimento dos postos seja restabelecido em um prazo de 3 a 5 dias.

"A Raízen reitera que não mede esforços para restabelecer, o mais breve possível, os estoques de combustíveis necessários para atender a demanda da maior cidade do país", destacou a companhia em nota. A Raízen mantém a política de priorizar o abastecimento aos considerados serviços essenciais, categoria na qual se enquadram os aeroportos, o transporte público, ambulâncias e veículos de coleta de lixo. Além de abastecer os postos da própria rede, a Raízen também entrega combustível para postos de outras bandeiras, situação que também começa a ser normalizada.

Tudo o que sabemos sobre:
protestoscaminhõescombustíveis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.