Rali leva Wall Street a 4a semana seguida de ganhos

As bolsas de valores dos Estados Unidos tiveram a quarta semana consecutiva de ganhos, com os investidores se valendo nesta sexta-feira de dados que mostraram um aumento dos gastos empresariais para retomar o rali de setembro, após três dias de perdas.

RYAN VLASTELICA, REUTERS

24 de setembro de 2010 | 18h12

O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, avançou 1,86 por cento, para 10.860 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq subiu 2,33 por cento, a 2.381 pontos. O índice Standard & Poor's 500 ganhou 2,12 por cento, para 1.148 pontos.

No acumulado da semana, o Dow subiu 2,4 por cento, o S&P 500 avançou 2,1 por cento. O Nasdaq ganhou 2,8 por cento.

Os dados macroeconômicos apontaram um quadro misto, mas operadores preferiram se apegar à alta no gasto empresarial no país no mês passado, no mais recente sinal de que a recuperação está num passo mais firme. Assim, a estabilidade nas vendas de novas moradias em agosto ficou em segundo plano

.

"No mês passado, os investidores estavam posicionados para o que pensavam que seria uma volta à recessão e à inflação, mas o cenário não está tão ruim, temos ido por outro caminho", disse Lawrence Glazer, sócio na gerência da Mayflower Advisors, em Boston.

As ações da construtora KB Home subiram 3,4 por cento, após a empresa registrar um prejuízo trimestral menor que o esperado. Tal notícia ofuscou o fraco dado imobiliário, e o índice Dow Jones para o setor de construção residencial avançou 2,9 por cento.

Os papéis da Nike ganharam 2,4 por cento, um dia depois de a companhia reportar encomendas e lucro mais fortes que o aguardado.

Também alimentou a confiança do investidor a conclusão da oferta de ações da Petrobras. A venda de quase 70 bilhões de dólares em ações superou as expectativas, acabando com preocupações de que esses papéis fossem menos atrativos .

Tudo o que sabemos sobre:
WALLSTFECHAATUALIZA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.