Ranking da Fifa pode definir cabeças-de-chave

O critério de definição dos cabeças de chave da Copa na África do Sul será definido dia 2, na reunião do Comitê Executivo da Fifa, e o sorteio para a formação dos grupos, dia 4, em Johannesburgo. Os anfitriões, os sul-africanos, estão preocupados. Podem não ser cabeça de chave, o que aumentaria a possibilidade de não passarem à fase seguinte da competição.

, O Estadao de S.Paulo

21 de novembro de 2009 | 00h00

 

O presidente da Fifa, Joseph Blater, tem razão ao temer o nível da arbitragem na Copa?

Se a Fifa optar por seu ranking de seleções, emitido todo mês, como em 2006, na Alemanha, os cabeças de chave já são conhecidos. Se for o de outubro, as oito melhores nações - são oito grupos na primeira fase da Copa - seriam Brasil, Espanha, Holanda, Itália, Alemanha, Argentina, Inglaterra e Croácia. Mas os croatas não se classificaram, o que faria da França, nona, cabeça de chave.

No caso do ranking de novembro, Portugal, décimo em outubro, subiu para quinto e passa a ser um dos cabeças de chave, junto de Espanha, Brasil, Holanda, Itália, Alemanha, França e Argentina. A Inglaterra, em nono, ficaria de fora. O critério reduz a chance de existirem os chamados "grupos da morte".

DESCULPA

O francês Thierry Henry reconheceu que "seria mais justo" se França e Irlanda disputassem nova partida para se conhecer o dono da vaga na Copa. No jogo de volta entre as duas nações, quarta-feira, em Paris, Henry usou a mão para ajeitar a bola e dar o passe para Gallas fazer o gol na vitória por 1 a 0. A Fifa já se pronunciou, ontem, para informar que não haverá outra partida. Em frente ao campo do Barcelona, sua equipe, ontem, havia um cartaz com uma foto de Henry e os dizeres: "Eu, Thierry Henry, peço desculpas ao povo da Irlanda por usar minha mão para deixá-los fora da Copa."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.