Rebeldes curdos anunciarão trégua, diz líder do Iraque

Turquia diz que esgotará diplomacia antes de lançar ataque através da fronteira.

BBC Brasil, BBC

22 de outubro de 2007 | 16h50

O presidente do Iraque, Jalal Talabani, disse nesta segunda-feira que os rebeldes do grupo separatista curdo PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão, na sigla em curdo) devem anunciar um cessar-fogo nas próximas horas.A declaração foi feita depois de 12 soldados turcos terem morrido no domingo em uma emboscada atribuída a rebeldes do PKK que estariam escondidos em território iraquiano - o que intensificou a pressão para que a Turquia lance uma ofensiva militar através da fronteira.Em uma "sábia decisão", o grupo "deve iniciar um cessar-fogo a partir de hoje", disse Talabani, em uma coletiva na cidade iraquiana de Sulaymaniyah.Também nesta segunda-feira, o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Ali Babacan, disse que seu país vai esgotar todas as saídas diplomáticas para a crise antes de optar por lançar uma ofensiva no Iraque."Vamos continuar com esses esforços diplomáticos com todas as boas intenções para resolver este problema", disse Babacan em uma visita ao Kuwait. "Mas, no final, se não alcançarmos resultados, há outros meios que talvez tenhamos de usar." O Parlamento do Iraque teve uma reunião nesta segunda-feira para discutir a crise, na qual o ministro da Defesa descartou a possibilidade de enviar tropas para a fronteira turca.Abdel Qader Al-Obeidi disse que seria impossível remanejar tropas já insuficientes em outras regiões do país para a região onde os membros do PKK estariam escondidos.Os Estados Unidos temem que incursões turcas possam desestabilizar a região, que é a mais pacífica do Iraque, e pediram ao governo iraquiano que tome medidas imediatas contra os rebeldes.O Departamento de Estado americano disse nesta segunda-feira que estava trabalhando com os dois países para achar uma solução para um problema que, segundo os americanos, é uma ameaça real para a região.O governo de Ancara está sofrendo uma forte pressão popular para agir contra o grupo separatista.Houve protestos em todo o país no domingo e nesta segunda-feira. Em Istambul, uma manifestação reuniu milhares de pessoas.Membros da oposição e da imprensa pediram que haja uma resposta imediata à ação dos rebeldes.Na semana passada, o Parlamento da Turquia aprovou a realização de incursões no Iraque, mas o governo concordou em adiar as operações a pedido dos Estados Unidos, com a condição de que os americanos tomassem "atitudes firmes" contra os rebeldes.A decisão do Parlamento ocorreu depois de uma escalada nas operações do PKK, como parte de uma campanha armada pela autonomia curda.Ataques recentes atribuídos ao grupo mataram cerca de 40 soldados e civis turcos.O governo da Turquia estima que o PKK tenha cerca de três mil homens no norte do Iraque, próximo à fronteira.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.