Rebeldes curdos matam pelo menos 12 soldados turcos

Premiê turco está sob pressão para lançar represália que incluiria incursão no Iraque.

BBC Brasil, BBC

21 de outubro de 2007 | 10h55

Pelo menos doze soldados turcos foram mortos em uma emboscada por rebeldes separatistas curdos no sudeste da Turquia, próximo à fronteira com o Iraque.O ataque, que matou mais de vinte pessoas entre os rebeldes, foi atribuído ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK, na sigla em curdo), grupo separatista que vem ameaçando as forças turcas na região.Horas depois, uma bomba também atribuída ao PKK explodiu em um micro-ônibus no sudeste do país e deixou uma dezena de feridos.Os eventos deste domingo aumentam a pressão para que o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, dê sinal verde para um incursão militar no norte do Iraque, onde a Turquia afirma existir bases do PKK.O primeiro-ministro convocou uma reunião de emergência com ministros e autoridades miliatares para discutir o assunto. Enquanto isso, pediu calma aos canais de TV que pressionam por uma resposta militar:"Especialmente neste momento, espero que nossos canais de TV mantenham a calma, evitem a agitação e incentivem as pessoas a manter o bom senso", ele afirmou."Os passos dados no sentido de uma operação militar que cruze a fronteira foram resultado de um processo legal - o Parlamento nos deu autoridade. Tudo o que for necessário em linha com esse mandato será feito."O premiê acrescentou: "Gostaria de destacar que não temos nenhuma preocupação em relação a como esses passos são entendidos por outros".Nesta semana, os Estados Unidos e a União Européia, reagindo à decisão do Parlamento turco de autorizar a incursão militar, pediram calma à Turquia. Para Washington e Bruxelas, uma ofensiva poderia desestabilizar ainda mais a região.O tema tem colocado em fileiras opostas líderes da região. O Irã pediu à Turquia que privilegie os meios diplomáticos para resolver a crise.Já a Síria expressou nesta semana apoio a uma possível ação militar turca, o que gerou uma resposta do presidente iraquiano, Jalal Talabani."Não posso tolerar esta séria violação de todos os limites", disse o presidente, um curdo, em uma entrevista à imprensa turca publicada no sábado.Cerca de 3 mil rebeldes separatistas atuam na região entre a Turquia e o Iraque, onde desde a primavera as Forças Armadas turcam realizam manobras militares.No início deste mês, 13 militares morreram em outra emboscada.O PKK luta por autonomia no sudeste da Turquia desde 1984, resistindo em um conflito que já matou 30 mil pessoas.Turquia, Estados Unidos e União Européia consideram o grupo uma organização terrorista.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.