Rebeldes islamistas são acusados por ataque a bomba na Somália

Islamistas rebeldes são suspeitos de terem detonado um carro-bomba em frente a um popular café no centro da capital da Somália neste domingo, matando pelo menos sete pessoas, disseram a polícia e serviços de emergência.

REUTERS

12 de outubro de 2014 | 17h06

Não houve reivindicação imediata de responsabilidade pelo ataque, mas o grupo militante islâmico al Shabaab tem frequentemente detonado bombas ou lançado ataques armados em Mogadíscio. O grupo havia prometido mais ataques depois que perdeu o controle de uma grande fortaleza costeira há uma semana.

"Nós acreditamos que al Shabaab está por trás da explosão", disse o oficial de polícia, o major Nuur Farah, à Reuters.

O coordenador de ambulância de Mogadíscio, Abdiqadir Abdirahman, disse que pelo menos sete pessoas foram mortas e 15 feridas foram levadas para o hospital, alguns em estado grave.

(Reportagem de Abdi Sheikh)

Mais conteúdo sobre:
MUNDOSOMALIAATAQUES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.