Rebelião termina com detentas intoxicadas no ES

Uma rebelião às 16 horas de ontem na Penitenciária Estadual Feminina (PEF), no bairro do Tucum, em Cariacica, na Grande Vitória (ES), terminou com 38 detentas intoxicadas e uma ferida. O motim foi controlado depois de duas horas.

RICARDO VALOTA, Agência Estado

16 de agosto de 2011 | 08h19

Revoltadas com a demora no processo de transferência para o novo Centro de Detenção Provisória (CDP) de Vila Velha, também na Grande Vitória, as presas começaram o motim provocando um curto-circuito na unidade. Colchões e cobertores foram queimados pela rebeladas. Os bombeiros foram acionados e, em meia hora, apagaram as chamas.

Segundo a Secretaria Estadual de Justiça do Espírito Santo, a detenta que teria encabeçado a rebelião é Marta de Jesus Santos, que jogou um tanque de lavar roupas contra as agentes penitenciárias. As funcionárias revidaram com munição não letal. Ferida sem gravidade, a detenta foi levada para o Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Campo Grande. As demais presas, que apenas inalaram fumaça, foram atendidas nos hospitais da Santa Casa de Misericórdia, São Lucas, São João Batista e Antônio Bezerra de Faria.

No momento em que a rebelião teve início, na ala A da unidade prisional, a PEF abrigava 346 presas, 100 além da capacidade. Segundo a Secretaria de Justiça, o novo CDP de Vila Velha tem 528 vagas e conta com celas para até quatro presas, além de escola, área de saúde, salas para oficinas de trabalho, pátio para visita familiar e alojamento, com área de recreação, destinado a grávidas e mulheres com bebês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.