Receitas de aniversário que buscam inspiração 'belga', com algo a mais

 

Roberto Fonseca ,

02 de dezembro de 2010 | 10h21

Uma cervejaria produzir receita em comemoração ao seu aniversário não é exatamente novidade no Brasil - já passaram pelos copos dos degustadores a finada Baden Baden 20 anos e a boa Eisenbahn 5, que segue em linha. Mas a tradição, até pela "juventude" do mercado de microcervejarias, ainda não se institucionalizou. Por isso, chama atenção a coincidência de três cervejas festivas chegarem ao mercado em um período próximo.

Uma delas é a Flying Dog Raging Bitch, que celebra os 20 anos da cervejaria norte-americana. A outra é a Due, que, como diz o nome, marca os dois anos do bar cervejeiro Melograno. Em alguns dias, também será lançada a Bamberg St. Michael.

A Raging Bitch é uma ale de 8,3%. Sua base é a de uma India Pale Ale americana - leia-se com montes de lúpulo -, mas um diferencial: o fermento utilizado em sua produção tem influência belga. Ele confere à cerveja notas de tutti-fruti, condimentadas e um pouco frutadas (nota-se banana, por exemplo). Mas elas são muito tímidas perto da potência de notas cítricas geradas pelo lúpulo, e isso prejudica um pouco a proposta da cerveja. Mesmo assim, é interessante e tem bom corpo e presença de álcool (que gera "calor" na boca).

Já a Due é uma belgian dubbel, de cor castanho escura, com boa formação de espuma. No aroma, nota-se, logo de cara, a presença de notas de tutti-fruti e banana, seguidas de malte, caramelo e leve condimentado. A romã - fruta que dá nome ao bar e é ingrediente na receita da cerveja - aparece de modo bastante sutil, ao contrário da Uno, lançada em 2009, que a tinha até em demasia. A Due, porém, é uma boa cerveja, com equilíbrio entre seus elementos e corpo denso, e 6,5% de teor alcoólico.

A Raging Bitch, importada pela Tarantino, vem em garrafa de 355 ml e custa entre R$ 18 e R$ 26, segundo a importadora. A Due é vendida no Melograno e custa R$ 13 a garrafa de igual volume.

Direto da madeira. Mais uma cerveja de aniversário está chegando ao mercado. Para festejar seus cinco anos de existência, a Bamberg, de Votorantim (tel. 15/3242-7685), lançará em dezembro a St. Michael, uma weizenbock de influência alemã, mas com algumas diferenças. Primeiro, fermentou em barris de carvalho usados anteriormente para guardar vinho - e ganhou notas de madeira. Também possui quantidade de lúpulo acima do padrão do estilo, que se reflete no aroma e sabor. Por fim, foi refermentada na garrafa com levedura de champanhe, o que fez atingir 9% de teor alcoólico. O nome da cerveja é inspirado no mosteiro homônimo localizado em Bamberg, na Alemanha, que, segundo conta a história, foi o primeiro a produzir cerveja ali.

 

 

Veja também:

linkO terroir em forma de batatinhas

linkA comida me mordeu. E eu mordi de volta

linkJá fizeram graça e até negaram o primeiro do mundo

linkOvo à Noma? Você é quem frita ?

Leia mais:

linkE os vencedores são... (5ª você saberá)

linkA ancestral nova cozinha do Chile

linkSabores arrancados do solo e da pedra

linkPara sentir a terra e comer o território com as mãos

linkEñe faz jantares com cardápio premiado do Dos Cielos

linkWilma Kövesi abre turmas

blog Leia o blog do Paladar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.