Recepção na Rio+20 preocupa presidente

Dilma realizou reunião com autoridades aeroportuárias para evitar contratempos

TÂNIA MONTEIRO / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

16 Maio 2012 | 03h06

Preocupada com a recepção e os serviços que serão prestados às autoridades e a todos que desembarcarão para a Rio +20, a presidente Dilma Rousseff convocou uma reunião com todos os órgãos envolvidos com o setor na noite de segunda-feira, no Palácio do Planalto para saber do funcionamento de cada um e cobrar providências.

Dilma não quer que os 110 chefes de Estado e de governo que confirmaram presença no encontro tenham qualquer problema na sua chegada ao Brasil.

Dilma chamou todos os representantes da Secretaria de Aviação Civil, Infraero, Departamento de Controle do Espaço Aéreo do Comando da Aeronáutica (Decea) e até o comandante da Base Aérea do Galeão.

Representantes da Receita Federal, Polícia Federal, Anvisa e outros órgãos que atuam nos aeroportos brasileiros também tiveram que dar explicações. Ela não quer problemas com desembaraço de bagagens e quis conhecer detalhes do funcionamento do aeroporto do Galeão.

Desembarque. A base Aérea do Galeão será usada pelas autoridades para desembarque no País. A Base Aérea de Santa Cruz, na zona Oeste, também será preparada para receber autoridades, se houver necessidade. Mas a expectativa é de que todo o desembarque seja feito mesmo no Galeão e Santa Cruz seja usada apenas para estacionamento das aeronaves. "Se vierem as 110 autoridades presentes com aeronaves próprias, estaremos preparados para receber todas", comentou um interlocutor de Dilma, lembrando que 90% das pessoas chegarão pelo Galeão.

Dilma fez questão de descer a detalhes em relação ao funcionamento dos aeroportos. Quis saber como está o problema das escadas para os aviões, funcionamento de entrega de bagagens, questões de imigração, quantidade e qualificação do pessoal para executar este trabalho, questões de liberação de equipamentos e entrada de produtos que precisam de liberação da vigilância sanitária. Deslocamento do aeroportos e segurança também são preocupações da presidente.

O filhote de anta Parima caminha pela

primeira vez ao ar livre desde seu

nascimento no início do mês no zoológico

Tierpark Hagenbeck, no norte da Alemanha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.